quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O Túmulo de Moisés na Caxemira

Encontramos na Bíblia cinco pontos de referência que nos levam ao túmulo de Moisés (cf. Deuteronômio 34): as planícies de Moab, o Monte Nebo nas montanhas de Abarim, o cume do Monte Pisga, Bet-peor e Hesebon. A "terra prometida" foi expressamente reservada para os filhos de Israel e não para todos os hebreus (Números 27:12). Essa terra deve se situar além do rio Jordão. Se fosse possível localizar a "terra prometida".

Literalmente, Bet-peor significa "lugar que se abre", como um vale, por exemplo, que se abre numa planície. O rio Jhelum, situado ao norte de Caxemira, chama-se "Behat" em persa, e a pequena cidade de Bandipur, situada onde o vale do Jhelum se abre para a vasta planície do lago Wular, chamava-se antigamente Behat-poor. Bet-peor transformou-se em Behat-poor, hoje Bandipur, na região de Tehsil Sopore, a 80 quilômetros ao norte de Srinagar, capital da Caxemira. A aproximadamente 18 quilômetros de Bandipur existe o pequeno povoado de Hasba ou Hasbal, que parece ser a Hesebon mencionada na Bíblia (Deuteronômio 4:46), em conexão com Bet-peor e Pisga. Nos rochedos de Pisga (hoje Pishnag), ao norte de Bandipur e somente a 1,5 quilômetros da cidade de Aham-Sharif, existe uma fonte famosa por suas qualidades medicinais. Na Bíblia, o vale e as planícies de Mowu são chamados de planícies de Moab, terra ideal para pastagens, a cerca de cinco quilômetros ao norte do Monte Nebo. O Monte Nebo, também conhecida como Baal Nebu ou Niltoop, ocupa um lugar de destaque na cordilheira de Abarim e oferece uma vista maravilhosa da cidade de Bandipur e de todo o planalto de Caxemira, sendo sempre mencionado no contexto de Bet-peor. Como se vê, todos os cinco nomes encontram-se bem próximos uns dos outros.

E o senhor lhe disse: Esta é a terra que jurei dar a Abraão, a Isaac e a Jacó, dizendo: 'Eu a darei à tua descendência'. Eu a mostrei aos teus olhos; tu, porém, não atravessarás para lá. Então Moisés, o servo do Senhor, morreu ali, nas terras de Moab, de acordo com a palavra do senhor. E ele o sepultou no vale, na terra de Moab, defronte a Bet-peor; e até hoje ninguém sabe onde é a sua sepultura. (Deuteronômio 34:4-6)

São doze quilômetros de estrada de Bandipur até Aham-Sharif. Dali até o povoado de Booth, ao sopé do Monte Nebo, é preciso ir a pé. A escalada é feita em uma hora por uma íngreme vereda, pouco visível, tomando-se a direção do oeste. O contorno da montanha e sua luxuriante vegetação lembram as colinas da Europa. Após cruzar vários campos, chega-se à aldeia de Booth, situada à base do Monte Nebo ou Ball Nebu, como é chamado pelos habitantes da região. O vigia responsável pelo cemitério chama-se "Wali Rishi" e está encarregado de guiar os turistas a um jardim aberto, que fica um pouco acima da cidadezinha, onde foi construído um pequeno mausoléu, túmulo de uma santa islâmica eremita, Sang Bibi, e de duas de suas adeptas. Bem perto, à sombra da pequena construção de madeira, depara-se com um marco de pedra, sob forma de coluna, elevado a um metro do solo e completamente recoberto de ervas. Esse é o túmulo de Moisés.

"Wali Rishi" explica que os Rishis reverenciam o túmulo há mais de 2700 anos. Esse túmulo encontra-se perto da planície de Moab, próximo ao cume do Pisga, na montanha do Nebo, do outro lado de Bet-peor e, nesse ponto, tem-se uma vista magnífica de uma terra florescente e sempre verde, onde "corre o leite e o mel", um verdadeiro paraíso. Nessa área, como em outras regiões de Caxemira, existem numerosas localidades com nomes bíblicos, alguns dos quais chamados "Muquam-i-Musa", isto é, "o lugar de Moisés". Ao norte de Pisga existe um pequeno lugar às margens do rio conhecido como "Banho de Moisés", de onde se pode admirar uma pedra mágica chamada Ka-Ka-Bal ou Sang-i-Musa (pedra de Moisés) com aproximadamente 70 quilos. A lenda diz que essa pedra tem o poder de levitar e permanecer a um metro do solo se onze pessoas a tocarem com um dedo, pronunciando ao mesmo tempo, a fórmula mágica "ka-ka, ka-ka". Tanto o número onze como a pedra representam as tribos de Israel.

Um outro lugar que recebeu a influência do nome de Moisés encontra-se perto de Auth Wattu (os oito caminhos), nas proximidades de Handwara Teshil. Os rochedos junto à confluência dos rios Jhelum e Sindh (não o Indo), ao norte de Srinagar, perto de Shadipur, foram batizados com o nome de Kohna-i-Musa, "a pedra angular de Moisés". Acredita-se que Moisés tenha repousado sobre essa rocha. Ayat-i-Maula (Aitmul significa "o sinal de Deus"), a cerca de três quilômetros ao norte de Bandipur, é outra localidade onde se diz que Moisés descansou.

Jesus Viveu na Índia de Holger Kersten, páginas 59-63.

Nome na língua de Caxemira - Nome bíblico - Referência Bíblica

Amal - Amal - 1 Crôn. 7:35
Asheria - Asher - Gênesis 30:13
Attai - Attai - 1 Crôn. 12:11
Bal - Baal - 1 Crôn. 5:5
Bala - Balah - Josué 19:3
Bera - Beerah - 1 Crôn. 5:6
Gabba - Gaba - Josué 18:24
Gaddi - Gani - Números 13:11
Gani - Gani - 1 Crôn. 7:13
Gomer - Gomer - Gênesis 10:2
Agurn (Kulgam) - Agur - Provérbios 30:1
Ajas (Srinagar) - Ajah - Gênesis 36:24
Amonu (Anantnag) - Amon - 1 Reis 22:26
Amariah (Srinagar) - Amariah - 1 Crôn. 23:19
Aror (Awantipur) - Balpeor - Números 25:3
Behatpoor (Handwara) - Bet-peor - Deuteronômio 34:6
Birsu (Awantipur) - Birsha - Gênesis 14:2
Harwan (Srinagar) - Haram - 2 Reis 19:12

...e assim por diante!

A tua habitação está no meio do engano; pelo engano recusam conhecer-me, diz o SENHOR. (Jeremias 9:6)

Nenhum comentário:

Postar um comentário